Ílhavo pôs novamente a Ilustração à Vista

Cultura: o 23 milhas ‘fez o desenho’ a quem ainda não conhecia este evento e reforçou os traços com aqueles com quem já desenhava o território cultural da região.

0
134
O Ilustração à Vista "agrega disciplinas, agrega o município, pouco a pouco vamos construindo esse legado e esse raciocínio sobre nós próprios.”

Durante quatro dias, Ílhavo transformou-se no epicentro da ilustração, oferecendo na sua grande maioria, eventos multidisciplinares, desde concertos, a performances, teatro de rua, passando por conversas, oficinas e exposições, agregando “as várias dinâmicas de ilustração que existem no município, partindo da ilustração que está à vista na Vista Alegre (VA), que leva a nossa ilustração ao mundo inteiro, a ilustração científica, no Museu Marítimo de Ílhavo (MMI) e que também esteve presente neste fim-de-semana ou a ilustração ligada ao livro, que também é feita na biblioteca municipal”, explicou ao público Luís Sousa Ferreira no último dia do festival.

Entre outas atividades, destacamos “Arvoreser” e “Crevescer”, especialmente criadas para o público infantil, “Sueños de Arena”, do catalão Borja González, que iluminou e coloriu a noite de sexta-feira, no largo da AV, “Cortado por todos os lados, aberto por todos os cantos”, do brasileiro Gustavo Círiaco, que se realizou em duas noites, seguido do concerto ilustrado de Mira Mar (Frankie Chavez e Peixe) e de Big Dancers, dos espanhóis El Carromato, que fizeram do Jardim Henriqueta Maia uma discoteca ao ar livre e em tamanho grande, terminando com “Entremundos”, da Companhia Pia, que fechou o evento, no Jardim 31 de agosto, na Gafanha da Nazaré, numa tarde de domingo onde o tempo parou para viver a cultura do dia a dia.

Leia a reportagem completa na edição em papel.

DEIXE UMA RESPOSTA

Introduza o seu comentário
Introduza o seu nome