Ílhavo Capital Europeia da Cultura em 2027

0
33
Centro de Ílhavo - Foto: Pedro Marieiro

Ílhavo tem potencial para apresentar a sua candidatura a “Capital Europeia da Cultura” no ano de 2027, podendo rivalizar com as suas congéneres portuguesas que, até agora manifestaram essa intenção: Aveiro, Braga, Caldas da Rainha, Cascais, Coimbra, Évora, Faro, Guarda, Leiria, Oeiras, Viana do Castelo e Viseu, cuja seleção decorrerá até 2023 e que será efetuada por um comité internacional de especialistas, processo em que o governo português será observador.

Entre os critérios de seleção está a “contribuição para a estratégia a longo prazo, a dimensão europeia do projeto, o conteúdo cultural e artístico, a capacidade de realização, o impacto e a gestão”.

Entrada da Casa da Cultura de Ílhavo. Foto: Pedro Marieiro

A cidade de Ílhavo, e o seu município, pode conciliar tudo isso num processo bem estruturado, baseado em muito daquilo que já existe em termos patrimoniais e nos eventos que se realizam anualmente, a que, obviamente, se deverá acrescentar novos projetos.

No que se refere ao critério “estratégia a longo prazo”, Ílhavo tem vindo a fazer uma aposta forte em setores bem definidos e que acentuam as suas características culturais identitárias e marcam a sua diferenciação em relação aos outros municípios. Exemplo disso é a aposta na “cultura do mar”, com acento especial na pesca do bacalhau, onde marcam presença estruturas como o Museu Marítimo de Ílhavo, o Navio Museu Santo André, o CIEMar-Ílhavo e o Festival do Bacalhau. Essa estratégia a longo prazo poderá fazer de Ílhavo uma referência europeia nesse sector, tal como Limoges é uma referência na porcelana, ou Barcelona na “Arte Nova”.

Já no que se refere ao critério da “dimensão europeia do projeto”, e para além de toda a cultura em torno do mar e da pesca do bacalhau, bem como a sua ligação a inúmeros museus marítimos espalhados pelo mundo e às comunidades piscatórias do Atlântico, o projeto “Ílhavo Capital Europeia da Cultura 2027” poderá ter um outro pilar na porcelana, uma vez que no município ilhavense está instalada a mais antiga e famosa fábrica de porcelana portuguesa – Vista Alegre, que em 2027 terá 203 anos de existência – empresa que concilia tradição e inovação, e que é uma marca de prestígio mundial. Ílhavo pode beneficiar, nesta sua candidatura, do facto de integrar o Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial das Cidades Cerâmicas, rede que agrupa cidades e vila da Alemanha, Espanha, França, Itália, Polónia, República Checa e Roménia.

Leia o artigo completo na edição em papel.

DEIXE UMA RESPOSTA

Introduza o seu comentário
Introduza o seu nome