O Natal do… Pe. António Cruz

0
Como/onde/com quem costuma passar o Natal?

Devido à importância que dou à vinda de Jesus, em cada ano, com as celebrações litúrgicas, que nos são dadas a vivermos, na Noite de Natal com a “Missa do Galo”, passo sempre a noite de consoada com o padre que me acompanhe e com a empregada que nos presta serviços em nossa casa. No dia de Natal, junto-me com os familiares. E há um momento para visitar duas ou três famílias pobres, diferentes em cada natal.

Tem alguma tradição natalícia? Algo que repita a cada Natal, que nunca possa falhar?

A melhor tradição natalícia que não pode faltar na minha vida é a vivência espiritual. Não há natal sem Deus no coração do homem. A preocupação da preparação e vivência do tempo do advento, construindo e rezando o presépio, está ligada com a construção e limpeza do presépio dentro de mim mesmo, preparado pelo Sacramento da Confissão. Não há Natal sem paz interior.

O que é, para si, o melhor do Natal?

O Natal, para mim, é ter Cristo Vivo no centro da minha vida. Jesus, nascido no natal de todos os dias, é um presente que Deus me dá e eu pretendo ser um presente para Deus e para as pessoas. O Natal é um presente de Deus tão próximo de nós e tão interessado na salvação de cada um de nós. Deus vem acampar no meio de nós porque nos ama.

À mesa, no Natal, o que é não pode faltar?

À mesa da celebração do meu Natal não pode faltar a imagem do Menino Jesus, no centro da mesa, a presidir à oração em família e ao convívio entre todos. O Emanuel (=Deus connosco) está mesmo ali, no meio de nós. É uma maravilha a Sua presença!

Neste Natal, que prenda gostaria de oferecer ao Município de Ílhavo/comunidade ilhavense?

Neste Natal, a prenda que eu quero oferecer à comunidade ilhavense é a minha disponibilidade para a todos acolher e o serviço da caridade/amor de que as pessoas precisam. Por isso, tudo farei para ir ao encontro de quem mais necessita não apenas materialmente, mas sobretudo no serviço de ajuda espiritual. Quero ser para todos um presente de Deus, sem embrulho, para ser solidário com todos. Quero ser natal-dádiva. Porque as pessoas merecem. Para todos os ilhavenses, um Santo e Feliz Natal!

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Introduza o seu comentário
Introduza o seu nome