Atualmente emigrado nos Estados Unidos da América, Paulo Lemos foi amigo e “compagnon de route” musical de Carlos Paião. Ao “Ilhavense”, em depoimento, conta como tudo aconteceu.

“A ligação com o Carlos começou na infância, fruto da amizade das nossas mães. Andámos na mesma escola do ensino primário, a Escola Nova, até ele se mudar para Lisboa, depois de o pai, capitão Manuel Paião, arranjar um novo emprego. Nessa época, eu estudava música com o professor Guilhermino e ele aprendia acordeão na Rosinha Mónica. Apesar de ter ido para Lisboa, os nossos encontros foram-se repetindo durante as férias da Páscoa e, naturalmente, na Costa Nova, nas chamadas férias grandes. (…)”.

* Leia o depoimento completo na edição em papel ou na edição online em https://oilhavense.com/jornal-online

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Introduza o seu comentário
Introduza o seu nome