Novo capitão do Porto de Aveiro promete “continuar trabalho dos últimos anos”

A Capitania do Porto de Aveiro tem novo comandante. Humberto Silva Rocha, até aqui capitão do Porto da Figueira da Foz, rende Carlos Isabel que termina comissão de serviço de três anos.

0
377

Humberto Renato da Silva Rocha, capitão-de-fragata da classe de Marinha, é o novo capitão do Porto de Aveiro. A cerimónia de tomada de posse, que se realizou no dia 5 de setembro, no Farol da Barra, ficou marcada pela despedida de Carlos Isabel, que liderava a Capitania do Porto de Aveiro desde 2016.

No seu discurso de tomada de posse, Silva Rocha fez referência ao “vastíssimo espaço de responsabilidade marítima, costeiro, portuário e lagunar” da região, bem como a “elevada importância para a vida económica, social, cultural e recreativa das comunidades”. Humberto Silva Rocha, que já tinha sido capitão do Porto da Póvoa de Varzim e Vila do Conde e, mais recentemente, capitão do Porto da Figueira da Foz, garante estar “plenamente consciente da exigência” dos cargos que agora ocupa e compromete-se a “continuar o trabalho dos últimos anos”, contando com “estreita colaboração das entidades” para cumprir a missão de “garantir a segurança de pessoas e bens”.

Quanto ao capitão de porto cessante, as últimas palavras que dirigiu à região foram, sobretudo, de agradecimento. Carlos Isabel agradeceu aos autarcas, aos bombeiros voluntários, nadadores-salvadores, concessionários de praia e escolas de surf, assim como aos pescadores lúdicos e profissionais, “por terem sido parceiros dedicados no âmbito da segurança marítima”.

Do legado de Carlos Isabel destacam-se o espírito de cooperação entre a Capitania e as várias entidades que com ela se relacionaram e a afirmação de uma postura dialogante e atitude de proximidade reconhecidas por todos.  O capitão de porto cessante diz-se “convicto” de que a Capitania do Porto de Aveiro e o Comando Local da Polícia Marítima “manterão uma política de proximidade à comunidade que servem, com abertura e cooperação institucional com todos os órgãos, forças e serviços com que se relacionam”.

Carlos Isabel nunca escondeu a satisfação de ser capitão do Porto de Aveiro. Neste momento de despedida, em que cessa funções por questões pessoais e profissionais, fez referência aos amigos que leva desta região, confessando “um sentimento agridoce”, simultaneamente “de tristeza” e “de dever cumprido”. O capitão-de-fragata que, agora, vai integrar o Comando-geral da Polícia Marítima, desejou que o seu sucessor seja “tão ou mais feliz” do que ele próprio foi ao serviço desta região, afirmando: “Entrego-te a Capitania do Porto de Aveiro e o Comando Local da Política Marítima a funcionar em pleno e com uma guarnição motivada e coesa”.

(Leia na íntegra na edição em papel)

DEIXE UMA RESPOSTA

Introduza o seu comentário
Introduza o seu nome