Tulha celebra 48 anos com um jantar e uma homenagem

Grupo de Jovens recorda ano repleto de atividades e apela à participação no Festival da Canção Vida. Fernando Caçoilo garante entrega da antiga escola primária até ao final do mês.

0
Jantar celebrou o 48º aniversário do Grupo de Jovens "A Tulha" (DR)

Corria o ano de 1971 quando, na Gafanha de Aquém, um grupo de jovens começou a reunir com o propósito de angariar fundos para a compra de um órgão. Aos poucos, este grupo foi crescendo, começou a envolver-se noutras iniciativas e a realizar outras atividades. Com o tempo, começaram a ser conhecidos por “tulha”, em alusão ao pequeno local onde habitualmente reuniam. Quarenta e oito anos depois, o grupo continua ativo, sempre jovem e a entusiasmar o espírito comunitário da Gafanha de Aquém.

A Tulha faz anos a 12 de agosto, mas foi no passado dia 4 de outubro que realizou o jantar comemorativo do 48º aniversário da associação. Seguindo o mote “Eu faço parte da história”, cerca de 130 “amigos e amigas” do grupo de jovens participaram na festa.

Numa saudação aos presentes, Rafael Vaz, presidente da direção da associação juvenil, pôs o último ano em retrospetiva: lembrou a “prova de fogo” que foi conseguir levar para a rua uma marcha sanjoanina num ano em que a autarquia suspendeu a organização municipal das marchas populares; recordou também a importância da contratação de Tiago Verdade, um “faz tudo”, responsável pela gestão quotidiana e manutenção da sede social; referiu os recentes investimentos em obras de manutenção e requalificação dos espaços, bem como aqueles que são mais urgentes e para os quais a associação necessitará de apoio autárquico; apelou, ainda, à mobilização efetiva de todos para que seja possível “encher os auditório a Casa da Cultural de Ílhavo” no Festival da Canção Vida. “Não basta contar com o apoio moral, precisamos mesmo da vossa presença”, acrescentou.

Há ainda um outro motivo que fez de 2019 um ano marcante para o Grupo de Jovens “A Tulha”: o acordo – já anunciado, mas não formalizado – com a Câmara Municipal para que a associação passe a gerir parte do edifício da antiga escola primária da Gafanha de Aquém. A Tulha já tem um projeto para cada um daquelas salas e está pronta para pôr mãos à obra assim que o espaço lhe for entregue. Rafael terminou apelando a Fernando Caçoilo para que o mesmo lhes seja confiado até ao final do ano civil.

Este jantar de aniversário contou com a presença de João Campolargo e Fernando Caçoilo. O presidente da Junta de Freguesia de São Salvador felicitou a associação, salientando o seu “espírito jovem e dinâmico”.

Já o presidente da Câmara Municipal de Ílhavo sublinhou “o sentido de comunidade” e a capacidade de “relacionamento intergeracional” que, ao longo dos anos, A Tulha tem imprimido na Gafanha de Aquém.

Em resposta a Rafael Vaz, o edil garantiu a entrega da antiga escola primária até ao final do mês de outubro.

Uma homenagem ao casal “Miolo”

Um dos momentos altos da noite foi a homenagem d’A Tulha a dois dos seus associados: o casal “Miolo”. Manuel Miolo e a esposa têm sido fundamentais na conceção e construção das embarcações com que o grupo de jovens tem participado na Corrida Mais Louca da Ria, nas últimas seis edições do Festival do Bacalhau. Numa altura do ano particularmente atarefada para a associação – que tem o seu próprio espaço gastronómico no festival – tem sido o trabalho e a dedicação deste casal a garantir a participação do grupo na prova. A direção d’A Tulha decidiu, por isso, distingui-los simbolicamente, entregando-lhes um quadro onde figuram fotografias dessas embarcações.

DEIXE UMA RESPOSTA

Introduza o seu comentário
Introduza o seu nome