Linha de apoio comunitário já ajudou mais de uma centena de pessoas

0
SYDNEY RAE // UNSPLASH

Completam-se duas semanas desde que a linha de apoio “Estamos Aqui” entrou em funcionamento no Município de Ílhavo. Para Fátima Teles, o balanço é positivo: “As pessoas têm recorrido a nós, para falar um pouco sobre as suas preocupações ou para pedir ajuda nas várias necessidades que vão tendo”. 

Em duas semanas, a linha de apoio “Estamos Aqui” recebeu cerca de 100 chamadas de apoio psicológico, pedidos para a aquisição de bens alimentares ou medicamentos e apoio ao sénior. “Mesmo quando uma chamada tem apenas como objetivo pedir ajuda na aquisição de bens, a equipa está preparada para colocar à pessoa questões simples que dão a perceção do seu estado psicológico, transmitindo-lhes também alguma segurança e conforto”, esclarece a vereadora da Câmara Municipal de Ílhavo. “Essa é a grande mais valia deste projeto, porque de forma simples chegamos eficazmente à pessoa que nos solicitam ajuda, seja ela qual for”, acrescenta. 

Responsável pelo pelouro da Ação Social da autarquia ilhavense, Fátima Teles tem toda a sua equipa preparada para intervir no projeto “Estamos Aqui”. “Por uma questão de logística formámos duas equipas que se vão alternando. A equipa conta sempre um psicólogo, um assistente social e um gerontólogo. Também contamos com profissionais dos nossos parceiros .

Paróquia de Ílhavo é parceira fundamental

Um dos parceiros essenciais da linha de apoio “Estamos Aqui” é o Património dos Pobres. A Paróquia até está a desenvolver uma campanha de apoio comunitário própria, mas, “para não haver multiplicação de serviços que dificultaria o acesso dos setores mais desprotegidos da comunidade e obrigaria mais gente a sair, estamos a receber pedidos redirecionados da Câmara Municipal de Ílhavo e da Junta de Freguesia de São Salvador, centralizando tudo no nosso grupo de voluntários”, explica o padre José André Ferreira, colaborador pastoral da Paróquia de São Salvador de Ílhavo. O processo é muito simples: a pessoa necessitada faz o seu pedido por telefone e é atendida por um funcionário do Património dos Pobres que partilha o pedido com um grupo de 27 voluntários no WhatsApp. De seguida, o voluntário que saia nesse dia, assume o pedido como “seu”. 

“Achamos que esta é a melhor forma para evitar saídas desnecessárias. O voluntário, que já ia sair, predispõe-se a integrar o pedido de outra pessoa na sua saída”, diz José André. 

Para além da equipa de profissionais de saúde residentes e das entidades parceiras, a linha de apoio “Estamos Aqui” conta ainda com 20 voluntários do curso de Psicogerontologia do ISCIA – Instituto Superior de Ciências da Informação e Administração -, de Aveiro, a “concretizar chamadas de monitorização semanal a cerca de 100 idosos dos nossos projetos da Maioridade, no combate à solidão e ao isolamento social, averiguando em simultâneo, as necessidades de alimentos e medicamentos”. “Cada voluntário está responsável por um grupo de idosos”, explica Fátima Teles, e, todas as semanas, são lançados desafios por telefone que vão desde a narração de poesia à concretização de exercícios de estimulação cognitiva. 

Por telefone e não só. Diariamente, às 15h00, tem sido lançado na página do Município de Ílhavo no Facebook, bem como na página “Maiores de Idade- Município de Ílhavo”, um vídeo com propostas musicais, atividades físicas, canto, leitura de histórias e poesia, showcookings e vários temas pedagógicos e informativos. Estes vídeos “integram um conjunto de 40 episódios já preparados, no âmbito do “Estamos Aqui”, que visam “proporcionar momentos de lazer, incentivando as famílias a fazer algumas atividades” ou que, em walternativa, ajudam a “confortar, aproveitando o tempo da melhor forma”.

De acordo com Fátima Teles, o feedback da comunidade tem sido “excelente”. “Basta ver o número de visualizações que os vídeos têm tido, para percebermos que esta foi uma boa aposta no combate aos dias difíceis que todos temos passado e que, infelizmente, ainda vão durar algum tempo”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Introduza o seu comentário
Introduza o seu nome