Relicário de São Francisco Marto, em Ílhavo

0

Hugo Calão

Este artigo trata da identificação, salvaguarda e mediação de bens culturais de relevante interesse patrimonial e devocional na Diocese de Aveiro, pretendendo dar a conhecer a cruz peitoral-relicário do arcebispo de Évora, D. Manuel Trindade Salgueiro, montada sobre relíquia das ossadas de Francisco Marto, pastorinho de Fátima pertença do espólio da Paróquia de São Salvador de Ílhavo.

Muitos desconhecem que na igreja de Ílhavo existe esta especial relíquia de São Francisco Marto, pastorinho de Fátima, das poucas fora do santuário.

A história cruza o momento da exumação das ossadas do pastorinho com a presença de D. Manuel Trindade Salgueiro.

Francisco, o pastorinho de Fátima, nasce a 11 de junho de 1908 em Aljustrel, paróquia de Fátima, sendo o penúltimo dos sete filhos de Manuel Pedro Marto e Olímpia de Jesus.

Relembrando a pandemia atual, foi vítima da epidemia da gripe pneumónica que assolou o país, também conhecida por gripe espanhola, adoecendo a 18 de outubro de 1918, pouco mais de um ano depois da última Aparição da Virgem, doença que chegara a Portugal no meio desse ano e em pouco tempo causou a morte de dezenas de milhares de pessoas.

Morre, serenamente, no dia 4 de abril de 1919, aos 10 anos, sendo sepultado no cemitério de Fátima no dia seguinte.

Foi canonizado juntamente com a sua irmã Jacinta pelo Papa Francisco a 13 de maio de 2017 no Santuário de Fátima e centenário da aparição.

Os seus restos mortais foram identificados e exumados, em 17 de fevereiro de 1952, e trasladados para a Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, em 13 de março de 1952, onde repousa no braço direito do transepto.

Quem somos

No dia da exumação terá sido entregue a D. Manuel Trindade Salgueiro, na altura aí presente como Arcebispo de Mitilene, um pequeno fragmento das ossadas do pastorinho doado pelo pai de Francisco, Manuel Marto, que o nosso bispo do mar devotamente resguardou juntamente com folha da oliveira da aparição, na sua cruz-peitoral.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Introduza o seu comentário
Introduza o seu nome