• Horta da Ria planta, colhe e processa salicórnia com o objetivo de promover a laguna e reduzir o consumo de sal

A “erva do diabo”, nome que os antigos marnotos davam à salicórnia, é nos dias que correm uma das coqueluches da ria de Aveiro. A empresa de Júlio Coelho e Júlia Cavaz leva esta planta da àgua até ás prateleiras, e são várias as opções, desde a versão em pickles à salicórnia em pó, passando obviamente pela fresca e até, mais recentemente, à cerveja.

Foi em 2009 que o casal Júlio Coelho e Júlia Cavaz conheceram pela primeira vez a salicórnia, durante uma festa de aniversário na Ilha dos Puxadoiros. “Experimentámos, achámos muito curioso e a vida continuou”, explica Júlio Coelho, revelando que só em 2013, como parte de “um curso de empreendedorismo do fundo de desemprego”, em que o objetivo era “criar uma empresa fictícia”, começaram a pensar mais seriamente sobre esta alga.

* Conheça melhor este projeto em destaque na edição em papel ou na edição online em https://oilhavense.com/jornal-online

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Introduza o seu comentário
Introduza o seu nome