O Gafanhoto: referência gastronómica

0
189

O Restaurante “O Gafanhoto”, na Gafanha da Encarnação, Ílhavo, bem próximo da característica e icónica Costa Nova do Prado, abriu as suas portas em a 3 de Agosto de 1996 sendo seus proprietários Gina e Paulo, ex-emigrantes regressados dos Estado Unidos da América do Norte, Newark, New Jersey.

Desde então “O Gafanhoto tem vindo a afirmar-se com os seus pratos regionais que desde há muito se tornaram uma referência gastronómica cuja fama se vai espalhando um pouco por todo o lado…

Vários e experimentados apreciadores de gastronomia, de nível nacional, têm tecido grandes encómios a “O Gafanhoto” colocando-o nos roteiros gastronómicos Nacionais. Oferecendo um cardápio muito apreciado, este Restaurante tem vindo a rasgados elogios pela sua confirmada e reconhecida qualidade.

A aposta gastronómica do “Gafanhoto” assenta, naturalmente, na tradição piscatória da desta terra ligada ao mar e à Ria de Aveiro. Em ambiente familiar, salas decoradas com imagens e motivos alusivos à vida local e à “Faina Maior”, os clientes encontram no “Gafanhoto” o ambiente mágico onde podem degustar pratos regionais de sabor genuíno e cozinhados como mandam as regras e o saber das gentes da região bem acompanhados pelos proprietários que também dominam saberes e sabores. As opções são variadas e apresenta sempre “entradas” à altura da gastronomia local – ostras da ria, berbigão, mexilhão, ovas e pataniscas de bacalhau, cavala marinada, entre outras – que servem para introduzir a proposta de abertura que é quase “obrigatória”: a sopa de peixe “rica em ingredientes (garoupa, robalo e camarão) de “sabor” garantido.

Como sugestão do cheff e para duas pessoas costuma ser indicado o “especial de bacalhau, um menu de degustação do mesmo. Entradas com as já referidas e saborosas “ovas de bacalhau” sobre fatias de broa, e gulosas “pataniscas de bacalhau”, acompanhadas com arroz de feijão; para prato principal, outra especialidade – “feijoada de sames”, tão suave na textura como intensa no paladar, e “bacalhau à Gina”, posta briosamente assada no forno”.

As variações do menu passam pelos ensopados de pregado, de rodovalho e de garoupa, todos com sabores muito apurados; a caldeirada de enguias, que é recomendável reservar pelo menos de véspera porque só é feita com enguias frescas e apanhadas por pescadores de confiança, é sempre uma especialidade muito apreciada. Os peixes do dia para grelhar costumam ter como especialidades: robalos, pregados, rodovalhos, linguados, chocos e outros, sempre frescos.

As especialidades dos “pratos de carne”, com menos propostas, também não deixam de surpreender: “mar e terra”, misto de camarão, lulas e carne de vaca na grelha; o suculento naco de vaca com cogumelos, servindo igualmente de exemplo o “Portobello” por baixo com queijo da serra por cima e puré de batata a acompanhar; as tiras de porco grelhadas com migas fazem também parte das “especialidades da casa”.

Para sobremesa o cheff costuma recomendar o cheesecake (com várias coberturas: cenoura, frutos vermelhos, chocolate, etc., com ou sem gelatina.

DEIXE UMA RESPOSTA

Introduza o seu comentário
Introduza o seu nome