Foto: CMI

O Vereador eleito pelo Partido Socialista, Sérgio Lopes, no âmbito da aprovação da Estratégia Local de Habitação, defende a necessidade urgente de planeamento mais ambicioso do que o apresentado pela maioria na última reunião da Câmara Municipal.

Sérgio Lopes aponta que “o documento apresentado prevê medidas de curto prazo para fazer face às necessidades urgentes de cerca de 150 agregados familiares mais carenciados, o que é de enaltecer, naturalmente, mas que se demite de planear respostas aos problemas diagnosticados: o mercado de arrendamento e de compra com preços cada vez mais inacessíveis às classes médias, num contexto em que são 3.600 habitações as que precisam de requalificação, 2.200 as que estão vagas e 2.800 sobrelotadas”.

O eleito do PS lamenta “que a Estratégia Local de Habitação não procure planear respostas” para aqueles que “não podendo aceder ao que está disponível no mercado, não reúnem os critérios de elegibilidade para acesso à habitação social”, conforme diagnostica o documento apresentado.

Sérgio Lopes considera “decisivo que se construa urgentemente uma política de habitação dirigida às classes médias, em articulação com a iniciativa privada, que garanta habitação digna para todos, com recurso às diversas fontes de financiamento existentes que o plano apresentado não considerou, sob pena de se perderem oportunidade de captação de investimento para o Município de Ílhavo”.

Por fim, o líder do PS/Ílhavo diz que houve falta de diálogo prévio com as oposições para apresentação da proposta e elogia a governação socialista, que obteve maioria absoluta nas eleições legislativas de janeiro último, na matéria do direito à habitação. Localmente, o PS pretende também promover a fixação de jovens casais, programas de habitação e incentivos nos impostos e taxas municipais através da isenção de IMI e IMT.

Publicidade