Os portugueses Tarantula contam com 40 anos de carreira.

Três anos depois da sua última edição, numa paragem forçada pela pandemia, o Vagos Metal Fest está de volta durante os dias 28, 29 e 30 deste mês.

Ao longo dos três dias, a Quinta do Ega, no centro de Vagos, vai ser palco para 25 bandas portuguesas e internacionais.

O destaque vai para cabeças-de-cartaz como os pioneiros do black metal melódico Dimmu Borgir e Emperor, que vêm da Noruega, e para os musicalmente rapidíssimos e energéticos Testament e Exodus, oriundos dos Estados Unidos da América.

Quanto a grupos portugueses, destaque para os veteranos do heavy metal tradicional Tarantula, que contam com 40 anos de carreira, e para os muito animados e festivos Serrabulho.

Numa organização estreita entre a promotora Amazing Events e a Câmara Municipal de Vagos, são esperadas cerca de 20 mil festivaleiros. Em 2019, o evento gerou um retorno de perto de um milhão de euros para o município de Vagos.

Recentemente, a empresa promotora do festival e a autarquia renovaram o protocolo de cooperação até 2026. Para o edil vaguense, Silvério Regalado, “este festival é uma forte aposta na cultura”, afirmando a vila como a “capital do metal em Portugal”.

Publicidade