Rádio Faneca mantém projetos de comunidade em edição especial do festival

0

É já nos próximos dias 10, 11 e 12 de julho que o Rádio Faneca regressa ao centro de Ílhavo. Uma edição especial, com recinto condicionado e lotação limitada, que se alinha com todas as recomendações da DGS para a realização de eventos culturais, mas que assinala e reforça a importância de continuar.

Este ano, tudo mudou, mas reforçou a vontade, ou a urgência, de transmitir alegria. É missão de um festival como o Rádio Faneca, organizado pelo 23 Milhas, projeto cultural do Município de Ílhavo, que se continue a apoiar os artistas, a estimular os públicos e a orientar as pessoas no sentido de manter vivos os hábitos culturais. O festival acontece, assim, cumprindo todas as regras de higiene e segurança, prevenindo ajuntamentos.

Acontecerá num formato muito diferente, com a sua atividade centrada na Praça da Casa da Cultura de Ílhavo, onde se constrói um recinto com o palco Jardim (onde atuam os Clã e os Dead Combo), o palco Amália (junto à Câmara Municipal de Ílhavo), o palco Rádio, o palco do auditório da Casa da Cultura e Brincar no Jardim (edição especial de Jogos do Hélder). As lotações serão limitadas, os acessos condicionados e o espaço delimitado por um jardim. 

Ao longo dos últimos meses, houve muitas pessoas que se juntaram digitalmente para manter vivos os projetos comunitários das Histórias, que este ano juntam memórias de netos e avós, o da Bida Airada, que materializa o poema “Como se desenha uma casa” de Manuel António Pina e o da Casa Aberta, que desafia as famílias do Centro Histórico de Ílhavo a reinventar uma casa de pássaro, na impossibilidade de abrirem as suas próprias casas.

Histórias Encenadas 

O projeto das Histórias nos Becos sai dos becos e instala-se no Palco Amália. Graça Ochoa orientou o projeto que, com a comunidade ilhavense, trabalhou memórias de avós e netos: Histórias Germinadas no Quintal. Destas histórias, representadas por diferentes atores, que se tocam mesmo em distintos tempos e lugares do globo, conhecemos “Monstro Coletivo”, “História de um estendal e de uma avó que não sabia ler”, “A avó que não foi avó” e “Entre palavras tuas”. Quatro histórias para ver, diariamente, nos três dias do festival.  

Casa Aberta 

“Duas Casas” é o projeto da Burilar para a Casa Aberta da edição de 2020 do Rádio Faneca, que desafia a comunidade a receber em sua casa uma encomenda especial – uma casa de pássaro, materiais diversos, pistas para o pensamento e algumas propostas de transformação daqueles.  O que se pretende é que cada família que participe neste projeto se aproprie criativamente de uma casa de pássaro que posteriormente fique visível nos becos do Centro histórico de Ílhavo, para a restante comunidade. No festival, existirá um percurso diário pelas casas participantes, que arranca da Casa da Cultura de Ílhavo, às 18:30.

Bida Airada 

Já a Bida Airada, orientada pela ondamarela, tem concerto marcado para o último dia do festival, às 17:00, no auditório de Casa da Cultura de Ílhavo. Nos últimos meses juntaram-se, a partir de casa, dezenas de pessoas para um Roteiro de Exploração Doméstica. Partilharam palavras, sons, imagens, pensamentos, coisas grandes, coisas pequenas para, mais uma vez, criar em conjunto algo de novo. Nos últimos dias, os ensaios já foram presenciais. A partir da ideia de “casa-comum”, criou- se um espetáculo que é uma e muitas casas, uma e muitas pessoas, um e muitos espetáculos.

Toda a programação e outras informações do Rádio Faneca estão no site www.23milhas.pt e nas redes sociais do festival.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Introduza o seu comentário
Introduza o seu nome