A requalificação do jardim explicada por quem a desenhou

0
Maria José Santana (Diretora d'O Ilhavense)

O projeto não é consensual. As tomadas de posição do Partido Socialista e da maioria que governa a Câmara Municipal – que por aqui temos vindo a noticiar – disso são exemplo. A requalificação do Jardim Henriqueta Maia continua a dividir opiniões, tanto no meio político como fora dele, razão pela qual entendemos ir falar com o autor do projeto: o arquiteto José António Paradela.

A entrevista era para se centrar apenas no projeto que irá mudar a cara do centro de Ílhavo, mas a experiência e conhecimentos do arquiteto ilhavense, de 82 anos, levaram-no a deixar alguns reparos sobre a falta de planeamento na cidade.

Vale a pena ler os seus alertas e refletir sobre aquilo que diz. Permitam-me destacar uma questão em particular: falta-nos gente a habitar o centro, alerta o José António Paradela. Um problema que podia ser facilmente ultrapassado, no entender do arquiteto, tanto mais porque Ílhavo está a uma curta distância da Universidade de Aveiro, cujos estudantes, conforme é já conhecido e sabido, têm dificuldades em encontrar casas para arrendar.

José António Paradela sugere que possam ser promovidas iniciativas no sentido de atrair jovens estudantes da UA para o centro de Ílhavo, ajudando, assim, a dar vida ao centro da cidade sede do município. A ideia é sugestiva e, à primeira vista, também parece consensual. Resta saber se o centro está preparado para receber novos habitantes, pergunto eu.

Importa pensar nesta e noutras questões levantadas pelo arquitecto que coordena o gabinete PAL – Planeamento e Arquitectura (com sede em Lisboa), numa entrevista na qual ficamos a saber alguns pormenores sobre o desenho do “futuro” Henriqueta Maia. Exemplo? A estátua do Bispo D. Manuel Trindade Salgueiro vai, mesmo, mudar de localização.

Nesta que é a primeira edição de 2020 – e que foi desenhada e editada nos últimos dias de 2019 -, também passamos em revista os factos e acontecimentos mais marcantes do ano que agora encerramos. Uma retrospetiva que nos deve encher de orgulho, dada a quantidade de conquistas e vitórias que os cidadãos ilhavenses vão somando. Embarque nesta viagem e recorde algumas das notícias que fomos destacando neste último ano.

E se não for pedir muito – e caso consiga ler estas linhas ainda antes da noite de passagem de ano -, reserve uma das 12 passas para desejar que O Ilhavense consiga continuar a trilhar este caminho de recuperação. Que 2020 seja um ano de consolidação e de crescimento rumo ao centenário do jornal.

Continuação de boas festas para todos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Introduza o seu comentário
Introduza o seu nome